O Matemático

Uma das promessas da matemática francesa no século XX, André Weil, revolucionou conceitos matemáticos como a Teoria dos Números fazendo uso da Geometria, além de provar a Hipótese de Riemann para curvas algébricas e corpos finitos. Por sua criação judaico burguesa ao lado de sua irmã Simone, filósofa, com formação acadêmica na França, Alemanha, Itália e Índia onde estudou na Universidade de Aligarh, local de aprendizado com Gandhi sobre o dever a desobediência de leis injustas sem temer consequências. Com o advento da Segunda Guerra não se dispôs a sacrifícios pela França no conflito, onde viu sucumbir toda uma geração de cientistas franceses na Primeira Guerra, além de considerar que seu Dharma não era como soldado e sim matemático.
Por conta de decisão em abandonar a França e fugir aos EUA, em 1939 foi detido na Finlândia muito pelas roupas estrangeiras e suspeita da ser espião soviético. Numa investida policial em seu apartamento em Helsinki apreenderam anotações matemáticas, documentos visando criação de um coletivo secreto internacional e correspondência com matemáticos russos. Levado à embaixada francesa confessou estar no país em função de fugir ao chamado à guerra recebendo em consequência o rótulo de comunista, desertor e traidor além do oferecimento francês na busca em comprovar tais acusações. Em 1991 Osmo Pekonen da Universidade de Jyvaskyla, pesquisou nos arquivos finlandeses e descobriu que a suspeita de espionagem foi real no início desaparecendo posteriormente e em consequência André foi expulso para a Suécia. Com o final da Guerra foi julgado por Tribunal Militar Francês e condenado por deserção, sentença que selou seu destino, nunca perdoado pela comunidade científica inclusive impedindo que ensinasse no país. Morreu em 1998 em Princenton.
Nicolas Bourbaki trata-se de um coletivo na qual um grupo de matemáticos em sua maioria franceses fundaram em 1935 visando publicar livros da matéria. Buscava independência da matemática moderna principalmente baseada na Teoria Numérica, além de fundamentar com mais rigor e simplicidade criando terminologia ao longo do tempo e depois conceitos. Seu auge foi entre 1950/1960 quando haviam poucos livros de matemática pura a nível universitário. O grupo Bourbaki apesar de ser personagem inventado era conhecido como Associação dos Colaboradores de Nicolas Bourbaki com sala na École Normale Supérieure em Paris. Seus fundadores Henri Cartan, Claude Chevalley, Jean Delsarte, Jean Dieudonné e André Weil antes de concluírem a Escola Superior de Paris, avaliaram seus livros como inadequados e antiquados comparados com a Escola alemã de David Hilbert, Emmy Noether em Gottingen e Emil Artin em Hamburgo. A última publicação foi Theories Spectrales de 1983 apesar de um fascículo de Álgebra Comutativa em fins do século XX. Como nos diz Enzo R. Gentile, “a evolução da Computação fez a aritmética deixar de ser ciência contemplativa e especializada para tornar-se um verdadeiro ramo aplicado, sendo que a necessidade de novos algoritmos computacionais requer vasto e profundo conhecimento matemático.”

Anúncios
Esse post foi publicado em geral e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s