Comportamento

A ideia de cognitivo se relaciona ao processo de aquisição do conhecimento, ou, o poder do conhecimento. Nela estão envolvidos diversos fatores do pensamento como a linguagem, memória ou raciocínio, compondo o desenvolvimento individual, que se responsabilizam pelo planejamento e execução de tarefas. Piaget entendia atividade intelectual se ligando ao funcionamento do organismo e desenvolvimento de cada um. Por sua vez, não está fora de contexto afirmar que as capacidades cognitivas se inserem na lei da oferta e procura, já que a resolução das questões acontecem a todo minuto. Quer dizer, por recursos cognitivos, o indivíduo analisa, lança suas estratégias prevendo consequências de decisões tomadas.
Pesquisa desenvolvida em Ontário no Canadá e publicada na revista Lancet, nos mostra os efeitos devastadores do tráfego pesado das megacidades sobre a saúde do indivíduo. O CO2 liberado nos escapamentos automotivos seria o maior responsável à propensão humana ao desenvolvimento da demência. Ficando os que vivem mais próximos das grandes avenidas com mais riscos, por conta da maior exposição, melhor vista nos engarrafamentos. Do latim diminuição da mente, a demência significa ampla redução das capacidades cognitivas provocando perda da autonomia individual. Com queda na memória, desatenção na capacidade de resolução de problemas e baixa resposta aos estímulos, acaba por interagir com surtos psicóticos depressivos ou delirantes. O número de demências tem aumento exponencial com a idade, variando de 1,1% aos 70 anos para 65% aos 100 anos. Como exemplo, São Paulo possuía em 1998 população de 7,1% acima de 65 anos, hoje está em torno de 21,9%. Em 2025 seremos o 6º país do mundo com mais idosos sendo a maioria da população nas cidades.
O pai do comportamentalismo John Watson, avisava que a psicologia era um ramo experimental das ciências naturais visando prever e controlar o comportamento. Defensor da importância do meio ambiente na determinação comportamental humana, acreditava que a aprendizagem resultava dos hábitos, ignorando fatores genéticos. Voltaire pensava que a ordem psicológica mostra anomalias, apresentando à todo momento seus paradoxos. Isto é dito para alertar o quanto o comportamento está sujeito à ações degenerativas desenvolvidas ao longo da vida e por diversas influências. Para concluir e pensar, a estimativa de doentes com Alzheimer em 2010 era de 35,6 milhões de pessoas no mundo, devendo subir para 65,7 milhões em 2030 e 115,4 milhões em 2050.

Anúncios
Esse post foi publicado em geral e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s