À própria sorte

O lago Karachay nos montes Urais na Rússia é considerado o mais poluído do mundo por conta de despejos de resíduos radioativos. Tal problema decorre ao fato que na década de 1940 a URSS construiu uma cidade secreta apelidada de Chelyabinsk-40, visando produzir armas nucleares a partir do Urânio-238 extraído ao redor e convertido em plutônio. Por comodidade e ignorância resíduos nucleares foram despejados no lago com a colateralidade de infiltrar o subsolo até a região pantanosa de Asanov. Para agravarem as coisas, em 1967 forte seca e evaporação expuseram os resíduos tóxicos que o vento espalhou por 2,3 mil kms² contaminando em torno de 500 mil pessoas. Por tal, a radiação no lago é 200 000 vezes superior à quantidade normal envolvendo aldeias e rios próximos com a emissão local de 600 röntgens, que são suficientes para matar uma pessoa em uma hora. Além dos danos ambientais, como exemplo, o índice de casos de leucemia aumentou, pela contaminação, em 40%.
A tragédia de Bhopal na fábrica da empresa americana Union Carbide em 1984 despejou na atmosfera 40 mil toneladas de gases tóxicos do pesticida isocianato de metila e considerada até nossos dias o pior desastre industrial, expondo mais de 500 mil pessoas aos gases com 13 mil mortes ou 3 000 diretas ao evento primário e 10 000 à doenças relacionadas por inalação tóxica. Ainda hoje 150 mil pessoas são afetadas com 50 mil incapacitadas ao trabalho. Atualmente a fábrica abandonada desde o acidente, espalha resíduos e materiais tóxicos no entorno contaminando solo e águas subterrâneas.
Chernobyl em 1986 tornou-se o maior acidente nuclear da história com o nível máximo na escala da Agência Internacional de Energia (AIEA). O fato ocorreu durante um teste no reator da central nuclear próximo a cidade de Pripyat na Ucrânia, ocasionando explosões em série e liberando na atmosfera radiação 400 vezes maior que a da bomba atômica em Hiroshima. O resultado são 200 000 km² de terra contaminada por radioatividade e 4 mil mortos em países vizinhos à Ucrânia. Acrescentemos ainda um número 10 vezes maior de óbitos por anomalias relacionadas ao evento principal.
O que tem os fatos acima em comum? São os mais graves incidentes na história, em locais com pouca transparência governamental dificultando fiscalização internacional. Grande dano à vida vegetal e animal além de forte impacto em vidas humanas. Prejuízos evidentes aos mais indefesos socialmente, grandes deslocamentos humanos forçados por governos locais. Abandono oficial na fase posterior ao evento, deixando tudo e todos à própria sorte. Lembramos que uma das características das atuais modificações climáticas são eventos extremos.

Anúncios
Esse post foi publicado em geral e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s