Perspectiva e medo

A Fundação Canária para o Controle de Enfermidades Tropicais (FUNCCET), realizou em outubro passado o Campus ÁFRICA, uma reunião em Tenerife sobre saúde pública, e como foco central, o Ebola. O que mais chamou atenção não foi o enfoque médico da epidemia, mas suas lateralidades e impactos sobre os afetados. No topo, o medo, como fala o jornalista espanhol Pepe Naranjo, após visita aos envolvidos. Segundo ele, uma crise humanitária envolvendo economia e coesão social. Nos lembra que a letalidade da doença é 50% e não 90% como falado inicialmente. Reclama o que chama retardo na resposta da comunidade internacional, alegando que trata-se de uma enfermidade conhecida desde os anos 70, iniciada em zona isolada e tratada como cólera.
Segundo o jornalista, o atual surto apareceu na zona fronteiriça entre os países afetados onde transitam grande número de pessoas. Estas circunstâncias, serviram à expansão da epidemia, associada ao hábito popular de alimentar-se com animais enfermos. Desde 1976 trata-se do maior surto com crescimento exponencial de casos novos. Outro olhar sobre a epidemia, envolve mitos criados por conta de seu avanço, acarretando fechamento de aeroportos, danificando economias locais, esvaziando hospitais por medo de contágio com piora de outras doenças. Naranjo, afirma que “o estigma social dos sobreviventes e familiares dos falecidos por medo ao Ebola, faz com que curados tornem-se párias, isto na África, onde a solidariedade e as pontes sociais são muito sólidas.” Como exemplo, em Serra Leoa 200 crianças foram acolhidas nestas circunstâncias. Como se não bastasse, temem no período chuvoso, aumento do surto de malária pior que em anos anteriores, por conta dos estigmas. Sobre isto, completa: “pessoas estão morrendo de apendicite, mulheres dando a luz em casa gerando muitos problemas.” Fim.

Anúncios
Esse post foi publicado em geral e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s