Passado e presente

Pesquisas americanas, projetam que 84% dos homens e mulheres casaram antes de completar 40 anos. Avisam que a medida que as mulheres ingressam na força de trabalho remunerada, o duplo ganho financeiro se converte em norma. Projetam que quase 50% dos homens e mulheres americanas se divorciarão, isto, no presente. Consideremos que em sociedades pós industriais os casais se formam por amor, que a atração mútua, torna-se o principal critério de eleição; critério este, com mais de um milhão de anos. Hoje, 33% dos solteiros conheceram seus relacionamentos atuais na internet, 37% começaram em encontros casuais culminando com 20% dos casamentos. Nos EEUU 74% dos solteiros se comprometeram, a longo prazo, com alguém de origem étnica distinta e 70% se comprometeria com alguém de outra religião. A maioria dos solteiros concorda com o matrimônio do mesmo sexo e terem filhos sem casar. 67% das mulheres casadas têm medo do divórcio. São cada vez mais comum as chamadas alternativas ao matrimônio legal como sociedades civis na Inglaterra, uniões civis nos EEUU, amizades de fato na Austrália e o pacto de solidariedade (PACS) na França.
Nossas raízes pré-históricas retornam a 10.000 anos de tradições agrárias, em que ancestrais agricultores foram obrigados a se casarem com pessoas do clã, da religião ou as chamadas conexões sociais adequadas. Seria bom lembrar que na origem do povo judeu está o pedido de Abraão que seu filho Isaac se casasse com uma mulher de sua tribo. Os chamados matrimônios de conveniência tornaram-se norma, com a crença em honrar o compromisso até a morte. Pesquisas indicam que há mais de 4 milhões anos, existe a estratégia dual reprodutiva humana de companheiras sucessivas via novas uniões e adultério clandestino. A razão, segundo especialistas, forçar laços interpessoais sempre foi uma característica humana. Tal conceito é antigo e a modernidade não o suprimiu. Nas sociedades antigas, as mulheres viajavam para coleta de frutas e vegetais regressando à sua origem com sua parte. Nestas sociedades, de padrão caçador e coletor, homens e mulheres poderiam ter até três casamentos.
Como bem podemos observar, até aqui, a modernidade parece manter antigos esteriótipos humanos de repetição comportamental originados há milhares de anos. Parece que instrumentos de comunicação moderna preservam sua sedimentação; realmente mudar é complicado, ou melhor, quebrar o ciclo vicioso.

Anúncios
Esse post foi publicado em geral e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s