História de um costume

Ao ato de exprimir algo, sentimento ou ideia, chamamos de linguagem que se faz de forma oral, gestual, escrita em prosa ou verso. O descrever a incorporação de um determinado costume em uma sociedade pode seguir vários formatos, aqui, tentaremos uma descrição a que chamaremos de oral.
No princípio, todas as coisas estavam inicialmente à mostra de todos e algumas submersas na terra. Utilizando-se dos sentidos o homem primitivo ia experimentando, e pelos resultados, incorporava seu uso ou não. Os de sensação agradável e bem estar acabavam por cair preferencialmente no inconsciente daquele grupo. Certa feita, determinado grupo populacional deparou com um lago em dia de forte calor e, após experimentar aquela água com grande frescor, alguém ali mergulhou estendendo o bem estar experimentado aos demais; desta forma, teria se iniciado o costume do banho. A história nos fala que povos mesopotâmicos primitivos exalavam odor desagradável e, em contraposição, untavam o corpo com azeite de oliva, retirado junto com impurezas. Escavações mostram a presença de canais e áreas de banho entre sumérios e acádios. Alguns livros médicos apontam ao banho ritual das sacerdotisas visando sua purificação. Relatos antigos mostram ainda que mulheres sumérias praticavam a depilação utilizando azeite, cinza de incenso diluída e pedra pomes, associando o rito de higiene corporal ao espiritual e a busca pela beleza.
O costume de banhar-se foi propagado por conta do calor e bem estar que acarretava denotando melhoria da aparência física; era algo agradável. Por conta dos efeitos revigorantes físicos, passam a ser utilizados como purificadores do espírito nos templos. Relatos antigos dão conta que existia entre judeus uma tribo chamada de Essênios que praticavam o banho ritual visando a purificação espiritual e a cura física. O banho batismal era praticado visando a cura das impurezas pelos males ocorridos em outras instâncias ou vidas, suspeitando-se que muitos destes povos acreditavam em reencarnação ou transmigração de almas. Fato é que os hábitos são incorporados a determinada cultura pela sua aceitação comunitária e bem estar que provocam. Assim parece ser com os costumes que chegam e se vão.

Anúncios
Esse post foi publicado em geral e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s