Natureza e mãos humanas

Surge a notícia do aparecimento de três crateras no norte da Rússia intrigando os cientistas. Na península de Yamal o buraco tinha 30 metros de diâmetro e 70 de profundidade, o outro surgiu a 300 kms do primeiro informado pelo Siberian Times. O intrigante nesta história são as teorias propostas indicando que o degelo associado a pressão das reservas de metano regional causou grande explosão formando a cratera. Tal teoria se ligaria ao aquecimento global devido o fato de na Sibéria haverem aumentos extremos de temperatura, as mais altas em 12 000 anos. A retirada de ar do fundo das crateras indica metano a 9,6% ou 50 mil vezes maior que na atmosfera pelo derretimento da camada permanente de gelo na superfície do solo. Tal achado sugere ainda um aumento de dois graus da temperatura no fundo do Ártico gerando alterações no comportamento meteorológico do planeta. A camada permanente de gelo na superfície chamada permafrost, se fundiria ao solo no verão e afundaria gerando bolsas de gás, que mesclada a água e sal, provocaria explosão. Daí conclui-se que o aquecimento das águas do oceano provocariam um aumento das emissões de metano para a atmosfera alterando sua temperatura.
Este evento nos chama a atenção pelo inesperado mostrando uma sucessão de fatores associados a condições regionais muito próprias, que desencadearam a formação de tais crateras. Bom lembrar que não longe de nós, a explosão inesperada de bueiros no Rio de Janeiro, que segundo estudos à época, levou a conclusão de vazamento de gás associado a centelha elétrica determinando a explosão consequente a manutenção insuficiente. Intriga o fato que em outras mega cidades brasileiras com redes subterrâneas de gás e eletricidade, muitas, em piores condições que as do Rio não ocorreram tais eventos. Outra questão é que no México e Taiwan a explosão por gás ocorrida danificou partes de todo um quarteirão.
Como vemos, a explosão siberiana de temperatura ambiente mais baixa que a nossa, foi desencadeada por alterações associadas a eventos químicos ambientais como salinidade e água. É possível que nossas explosões tenham sido realmente por problemas de manutenção e centelha elétrica, talvez associado a condições locais químicas especiais como salinidade e umidade ou fatores que desconhecemos. Isto foi dito, pois nos surpreender pelo inesperado é razoável, mas culpar o acaso ou apagões da vida pelo ocorrido, deve-se mais a desatenção que propriamente descrença no que vemos ao nosso redor.

Anúncios
Esse post foi publicado em geral e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s