Filosofia, ideologia e crença

A história das civilizações ensina que a ordenação do pensamento visando desenvolverem civilizações, passa por critérios econômicos políticos militares e culturais, englobando de forma geral a religião pelo carácter filosófico.
Quando o desenvolvimento do Nacional Socialismo alemão veio à tona com o anti semitismo de Hitler tentativas de compreensão foram feitas. Ao que parece, a mais consistente com a realidade seja a aliança com cristãos luteranos que introduziram ideais antissemitas de Lutero na linha de pensamento do partido. Falam inclusive que vem dos escritos de pensador reformista a ideia de segregar judeus em guetos; importante lembrar a voz discordante do pastor Martin Niemöller acabando por tornar-se prisioneiro da cota pessoal do Führer em Dachau.
Martin Heidegger um dos mais importantes filósofos de século XX, talvez se enquadre no grupo de intelectuais que acabam por dar base, aqui filosófica, à composições políticas. Notas até agora desconhecidas, confirmam o que todos há muito suspeitavam: Heidegger era nazista, anti semita e procurou dar conotação filosófica a acordos políticos feitos pelo Nacional Socialismo.
Acusam-no de escrever suas passagens mais controvertidas justamente nos anos dourados de Hitler. Desenvolvendo ideias sobre o ‘Ser’ foi comparado à filosofia grega e outros filósofos conhecidos e respeitados, influenciando nos campos da psicologia, arquitetura e teoria literária. Por fim em Schwarze Hefte (cadernos negros) agora publicados, o filósofo mostra sua face mais real e obscurecida parcialmente pelo tempo. Segundo especialistas no assunto, a vinda à tona de Heidegger não mostra somente uma afinidade política mas uma ideologia com o núcleo de todo seu sistema filosófico.
O mais importante nesta constatação histórica talvez seja que através da filosofia, Heidegger acolhe os prejuízos nazistas aos judeus. Ao desenvolver o ‘princípio racial’ procurou dar base filosófica à perseguição e extermínio judaico, dizendo que os judeus “carecem de mundo” e por tal são inferiores aos animais. Segundo o pensador alemão, o “judaísmo mundial’ está empenhado em impor uma falsa filosofia cujo “ser” é inferior ao “ser mutante”, não considerando o judeu como um povo original e responsabilizando-o pelo estado deplorável do mundo.
O que parece valer aqui são conchavos políticos ou acordos de interesse visando projetos de poder, encontrando aqueles que buscam valor filosófico, jurídico ou histórico pela deturpação do pensamento buscando a supremacia do grupo a que pertencem.

Anúncios
Esse post foi publicado em geral e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Filosofia, ideologia e crença

  1. DVH Advogados disse:

    Reblogged this on DVH Advogados and commented:
    Para refletir e entender

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s