Incerteza

Um dos maiores dilemas do ser humano consiste em saber a hora de parar alguma coisa ou o momento certo de sair de determinada situação, convencido que as expectativas iniciais não se realizarão, e atormentado pela dúvida, reluta no exato momento em que as coisas mudam de rumo. 
Há 1200 anos, Carlos Magno idealizou um projeto de ligação fluvial entre os rios Meno e Danúbio, e a partir de 793 cerca de 10 mil pessoas começaram a construção do que se chamaria a “Vala de Carlos”. Obra grandiosa numa época em que o transporte fluvial e marítimo era a melhor opção de locomoção. Como podemos imaginar, a obra de Carlos Magno encontrou sérios obstáculos com quedas de barreiras devido à enxurradas, e pelas dificuldades naturais, o projeto seguiu dois kms até ser abandonado.  
A ideia não morreu e uma segunda tentativa foi feita mil anos depois por Ludovico Bávaro, que iniciou na Baviera em 1836 sua tentativa em ligar os rios Meno e Danúbio. Desta vez após dez anos o canal estava completo sendo que inicialmente chegou a dar lucros, e pela sua capacidade, foi ultrapassado em volume de cargas pelas linhas férreas construídas, começando aí a perder competitividade. A consequência foi um enorme prejuízo, e quase 100 anos depois, o capital investido não pode ser amortizado ficando por conta do estado o prejuízo dado por Ludovico.
Houve ainda uma terceira tentativa de integração em 1920 através de um canal ligando o Mar Negro e o Mar do Norte pelos rios citados acima. O resultado foi uma obra gigantesca, que pelas dificuldades geográficas naturais, continuaram sendo feitas até nosso século. Por fim, depois muitas idas e vindas o último trecho do canal ligando estes rios foi alagado a um custo de 4,7 bilhões de marcos e com enormes prejuízos ambientais e paisagísticos.  
Esta história de uma grande obra europeia de integração fluvial sonhada no passado, que até nosssos dias continuam vigentes, busca a grandiosidade com grande incerteza. Na verdade, quando governos planejam algo grandioso visando o bem estar futuro, levam em consideração o momento atual em que vivem. Isto pode em determinado ponto, encontrar-se num dilema interessante que é o dilema do lucro (no seu sentido mais amplo) levado pelo custo benefício e seu retorno. Deveríam considerar que fatos inesperados podem ocorrer, como por exemplo a descoberta de novas tecnologias ou máquinas mudando radicalmente a previsão inicial. Decerto estamos cheios destes exemplos mundo afora.

Anúncios
Esse post foi publicado em geral e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s